365 motivos para amar Salvador

19 de maio – Ba-Vi

por Vitor Villar

Crédito: Correio

Crédito: Correio

Hoje é dia de Ba-Vi em Salvador! E só quem é soteropolitano ou já viveu por essas redondezas entende como essa partida, disputada desde 1932 entre os dois maiores clubes da cidade, mexe com as emoções e o dia a dia da “baianada”.

Mas falar apenas da história desse clássico, que para muitos é o maior da Região Nordeste, não é o suficiente. Bom mesmo seria retratar as emoções e memórias vividas pelos torcedores dentro daquelas quatro linhas – seja no saudoso Campo da Graça, na histórica Fonte Nova, no Pituaçu, no Barradão ou até em Feira de Santana e Camaçari.

Por isso, pedimos aos nossos leitores que enviassem suas histórias sobre o Ba-Vi – qual a partida que guarda com maior carinho e por quê – para que criássemos um post especial para o clássico, e aqui está o resultado. Torcedores-leitores: hoje o post é mais do que nunca dedicado a vocês!

Crédito: Robson Mendes/Correio

Crédito: Robson Mendes/Correio

Começamos com o relato da jornalista Fernanda Perez Varela. Ela lembra do Ba-Vi de 28 de fevereiro de 2010, disputado no Pituaçu pelo Campeonato Baiano e vencido pelo Esquadrão de Aço por 2 a 1. Melhor que o jogo em si, foi o que ocorreu depois dele:

Frequento estádios desde os 4 anos de idade e hoje trabalho como jornalista esportiva, que é um sonho, mas existe um clássico muito especial na minha vida. O Ba-Vi de 28 de fevereiro de 2010, em Pituaçu, foi incrível. Não apenas pelo jogo, que foi cheio de adrenalina, mas a maior emoção veio após o apito final do árbitro. Logo após a partida o meu namorado, que também trabalha com futebol, me pediu em namoro e estamos juntos até hoje. Não tinha como ser diferente. Sempre brinco e digo que um casal esportivo como nós, tinha que começar um namoro em um estádio de futebol, principalmente tendo um clássico como palco.

Agora vamos para o relato do rubro-negro Luan Santos. Ele recorda um dos jogos mais inesquecíveis para a torcida do Leão: o 6 a 5 sobre o arquirrival em 22 de abril de 2007, pelo Campeonato Baiano. Como ele recorda, aquele jogo equilibradíssimo, cheio de viradas e um gol nos acréscimos do atacante Índio, foi o último da saudosa Fonte Nova:

Rapaz, tenho vários favoritos. Um que eu nunca esqueço foi o Bavi de 2007. O Vitória meteu 6 a 5 no Bahia com quatro gols do mito Índio. O legal é que foi um jogo muito movimentado e aberto. Mesmo quando um time tava na frente do placar, não recuava e jogava na retranca, mas partia pra cima do rival. Nessa brincadeira, a partida teve três incríveis viradas (se não me engano). Acompanhei o jogo pela Rádio Sociedade, não lembro direito o narrador, mas acho que foi Silvio Mendes e seu “nasceeeeeu”.

O papai da tricolor Fernanda Moura (ela esqueceu de deixar o nome dele), também recorda um dos jogos mais incríveis para a torcida do Esquadrão de Aço. Aconteceu em 1994, na decisão do Campeonato Baiano. O Vitória levava o título até os 46 minutos do segundo tempo, quando o jogador Raudinei, até então um ilustre desconhecido da torcida, marcou o gol decisivo. Explosão total na Fonte Nova, num dos Ba-Vis com maior público no antigo estádio: 97.240 pessoas. Realmente, inesquecível:

Meu pai, que é torcedor do Bahia doente, disse que inesquecível foi o de 94. Bahia campeão baiano com gol de Raudinei aos 46 do segundo tempo!!! Disse que é o favorito dele porque o Bahia ganhou o título no final do jogo, que até torcedor do Vitória ele viu saindo de ambulância!!

Para a rubro-negra Ana Luisa Hiltner, o Ba-Vi inesquecível da sua vida foi o jogo de volta da final do Campeonato Baiano de 2009, disputado no dia 3 de maio, no Barradão. O Bahia precisava vencer por dois gols para levar o título, e o fez logo no primeiro tempo. Mas o Vitória conseguiu empatar o jogo de forma dramática no segundo tempo e levou o terceiro título consecutivo:

O meu favorito foi a final do baiano de 2009 ou 2010, nao lembro mais. Não foi exatamente um jogo bonito, mas foi emocionante. MUITA chuva na cabeça.

Agora, uma opinião bem diferente! O jornalista Luciano Matos também descreve o Ba-Vi memorável da sua vida, porém por outros motivos: o jogo foi tão feio que ele ficou convicto de que jamais torceria para aqueles times! Saca só:

Meu pai não gosta de futebol e um tio sempre me prometia me levar à Fonte Nova, mas nunca levou. Eu era (sou) Flamengo e não me animava tanto. Muito tempo depois, num dia dos pais bastante chuvoso, uns amigos convidaram eu e outros amigos pra ir num Ba-Vi. Foi inesquecível. Sem dúvida o pior jogo que vi num estádio. ZERO a ZERO digno do futebol apresentado e a certeza que eu estava certo em não torcer pra nenhum daqueles dois times.

Para fechar com chave de ouro, não poderia esquecer o meu relato, não é? Bom, na verdade não existe um Ba-Vi inesquecível para mim, mas sim dois, no mesmo ano e na mesma “sequência”: o primeiro, Bahia 2 x 4 Vitória, disputado na Fonte Nova, em 6 de abril de 1997, pela decisão do primeiro turno do Campeonato Baiano; e o segundo, Bahia 0 x 3 Vitória, disputado em 7 de junho de 1997, também na Fonte Nova, pela decisão do segundo turno do mesmo Baianão. Com os resultados, o rubro-negro sagrou-se tricampeão consecutivo do estadual, um feito inédito até então.

O Vitória tinha um time fantástico, puxado por craques como o tetracampeão Bebeto, o volante Preto Casagrande, o lateral Esquerdinha, o atacante Agnaldo e por aí vai. Eu já dizia que era Vitória na época por influência familiar, mas não acompanhava o time e não assistia aos jogos com frequência. Foi aquele time e aquele campeonato que me fizeram ter a certeza que não existia outro time para amar no mundo, a não ser o Vitória.

Bom, com certeza deixamos passar vários e vários Ba-Vis inesquecíveis, afinal a história desse clássico é fantástica. O espaço do blog, infelizmente, é pequeno, e palavras não podem descrever toda a emoção dessa rivalidade. Mas fica a homenagem para esse clássico, tão bonito e tão marcante na nossa cultura.

This entry was written by carolangom and published on May 19, 2013 at 6:56 pm. It’s filed under esporte and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink. Follow any comments here with the RSS feed for this post.

7 thoughts on “19 de maio – Ba-Vi

  1. Pingback: 10 de junho – Restaurante Grão de Bico | 365 motivos para amar Salvador

  2. Pingback: 24 de julho – Academia Champion | 365 motivos para amar Salvador

  3. Pingback: 6 de agosto – Café Terrasse | 365 motivos para amar Salvador

  4. Pingback: 14 de outubro – greve ao som de Edson Gomes | 365 motivos para amar Salvador

  5. Pingback: 28 de outubro – RedeMoinho Cooperativa | 365 motivos para amar Salvador

  6. Pingback: 29 de outubro – o maior acarajé da Bahia | 365 motivos para amar Salvador

  7. Pingback: 11 de dezembro – São Lázaro | 365 motivos para amar Salvador

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: