365 motivos para amar Salvador

8 de agosto – Palácio da Aclamação

Por Carol Andrade

Talvez por toda a sua pompa e grandeza o Palácio da Aclamação parece intimidar um pouco os soteropolitanos. Este não é exatamente um passeio badalado da cidade e também não é o tipo de programa preferido para se fazer com os amigos turistas. Mas entenda, não é que o lugar esteja abandonado, muito pelo contrário, nem que os soteropolitanos não se orgulhem do Palácio.

O prédio com fachada em estilo neoclássico – uma mistura entre o estilo renascentista italiano com o neoclássico francês – até hoje, mantém as características da decoração do início do século XX, como os cristais, os candelabros e os móveis.  Ele é, de acordo com a Diretoria dos Museus, (DIMUS) um dos mais significativos ‘museus casas’ de Salvador. Isso porque muito antes de se tornar museu, o lugar nasceu como uma residência. Ele abrigou pelo menos duas famílias – e inclusive era conhecido como o “Palacete dos Moraes” – antes de se transformar no endereço oficial dos governadores, em 1912.

O Palácio da Aclamação chegou a abrigar visitas ilustres na capital baiana como a Rainha da Inglaterra, Isabel II, e o príncipe Filipe, Duque de Edimburgo, em 1968. Transformado em museu em 1990, o Palácio da Aclamação é decorado com painéis emoldurados, pinturas de paredes e forros, guirlandas, laços e medalhões, tudo pintado pelo artista baiano Presciliano Silva.

A frente do Palácio da Aclamação (Foto: Angelucci Figueiredo)

A frente do Palácio da Aclamação (Foto: Angelucci Figueiredo)

Seu acervo é composto por mobiliários em estilo D. José I e Luiz XV, objetos de bronze, porcelana e cristal, tapetes persas e franceses. Tudo distribuído por dois pavimentos. No térreo, estão o Salão Nobre, com monumental lustre de cristal bacarat e bronze, o saguão e o Salão de Banquetes. Já no andar superior estão o dormitório, a sala de almoço, a capela e a copa. Além da decoração e acervo, o Palácio da Aclamação é realmente impressionante por suas imensas varandas com vista para a Baía de Todos os Santos, quintal, memória e luxo.

A dica é fazer um passeio completo pela vizinhança, afinal o Palácio da Aclamação é anexado ao Passeio Público e vizinho do Teatro Vila Velha. Para quem quiser emendar o programa em uma noitada, pertinho ainda estão o Bar Quintal e O Colon.

+ infos:
Dimus: Palácio da Aclamação
Endereço: Av. Sete de Setembro, 1330, Campo Grande
Horário de Funcionamento: Aberto de terça a sexta, das 10h às 18h. Sábado, das 13h às 17h
Telefone: 3117-6146

This entry was written by carolangom and published on August 8, 2013 at 3:52 pm. It’s filed under arquitetura, Baía de Todos os Santos, museu, passeio and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink. Follow any comments here with the RSS feed for this post.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: